Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feminismos é Igualdade

21
Set18

Sexismo: aqui, ali e acolá


umarmadeira

ARTIGO DE CLÁUDIO PESTANA

serenarg19dmed2

A final do US Open feminino do passado dia 09 de Setembro ficou marcada por duas questões memoráveis: a primeira foi a vitória histórica da jovem nipónica Naomi Osaka; a segunda, bem mais relevante para este artigo, foram os acontecimentos dentro do campo que se fizeram repercutir pelo mundo do ténis e não só, e que são, infelizmente, tema de debate aceso das últimas semanas.

O encontro ficou manchado por uma discussão acesa entre Serena e o árbitro português, Carlos Ramos, que penalizou a norte-americana por indicações recebidas por parte do treinador; esta penalização levou a atleta a partir a raquete e a ter uma discussão acesa com o fiscal da partida invocando sexismo por parte do mesmo pois, a seu entender, o mesmo não teria acontecido a um atleta masculino. Ora, eu confesso que não sei se a Serena Williams tem razões para a acusação ou se foi uma atitude de mau perdedor mas o que eu sei, e tenho a certeza do que vou afirmar, é que o sexismo é um problema real e presente no desporto, na vida académica bem como no mundo empresarial.

Infelizmente a mulher continua a ser alvo de discriminação de género, ora porque aos olhos da banalidade e da ignorância são consideradas incapazes de desempenhar determinadas tarefas, ora porque aos olhos da sociedade é esperado que a mulher tenha um determinado tipo de comportamento e acredito que não deve haver nada mais difícil do que uma mulher querer ser simplesmente tratada ao nível de um qualquer homem e não o ser! Eu que sou determinado e não acredito em fatalismos ou determinismos fico apreensivo perante estes cenários que na verdade não abrem muitas portas no que respeita à igualdade de género. Nas empresas é esperado que a mulher tenha um alto desempenho, que receba (em média) menos do que um homem e que se silencie perante determinados casos de assédio, e refira-se que o mais pequeno piropo é também assédio e não uma mera piadinha para a malta se rir um bocado.

Na política continua a ser difícil atingir a paridade absoluta das listas eleitorais porque a maioria dos homens não pretende abdicar dos seus cargos , ou, numa outra vertente a própria população apresenta alguma resistência em votar numa mulher em detrimento de um homem. Longo é ainda o caminho a percorrer nesta vertente. No desporto, é esperado que a mulher tenha um determinado tipo de comportamento, nomeadamente que aceite todas as decisões da arbitragem sem que com isso tenha o direito de as contestar, quiçá esse seja o papel do homo sapiens; recordo-me de John McEnroe (o eterno bad boy do ténis) e das suas birras constantes no campo com árbitros e outros atletas mas no geral provocada risada do público e não as críticas que recebeu Serena Williams. Mas enfim, são estes facilitismos que tem o meu género, era um bad boy e não uma tipa qualquer que tem de dar o exemplo e não pode ceder às emoções.

Atenção - Muita Atenção, não pretendo, nem por um segundo, defender e desculpabilizar as atitudes em campo da estadunidense, um mau perder é sempre um mau perder e a raiva incontrolável no desporto é sempre condenável quer seja por parte de um homem ou de uma mulher e isto é igualdade de género.

 

bannerclaudio