Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Feminismos é Igualdade

15
Mar19

Lutar por um mundo melhor? Com todo o gosto!


umarmadeira

ARTIGO DE CARINA TEIXEIRA

cartaz-acao-umar-madeira-8-marco-2019_520_403

O passado 8 de março foi um dia importante mas com sabor agridoce para mim. E porquê, perguntam vocês, já que é uma data comemorativa da Mulher? Este dia leva-me a um misto de emoções, uma vez que é uma efeméride em que se reinvidica direitos, em que relembramos todas as lutas de mulheres operárias por melhores condições de trabalho, dignidade, respeito, entre muitos outros.

Mas... Não esqueço o facto de já 12 mulheres terem sido assassinadas este ano (e ele mal começou...) por companheiros e ex companheiros. Para onde caminhamos? Até quando haverá uma próxima vítima? Até quando teremos uma justiça machista? Até quando acontecerá a próxima intimidação (seja no trabalho ou em espaços públicos), o próximo assobio na rua, a próxima abordagem desagradável, a próxima piadinha machista? Até quando nos iremos calar, enquanto outra mulher é assediada, violentada, maltratada? Quantas mortes ainda iremos chorar? Sim, chorar. Choro por elas, choro por mim e por todas nós, porque mexe com todas nós. Não nos podemos calar!

No 8 de março foi assinalado o Dia Internacional da Mulher por ter sido um dia de luta! A UMAR saiu à rua para distribuir o seu manifesto “Se as Mulheres param, o Mundo para” de reinvidicação por mais direitos para a mulher e entristeceu-me ver a indiferença de algumas mulheres em relação à causa. Entre muitas coisas, ouvi a pergunta "Em vez de um papel, porquê não dão uma flor?". Esta pergunta marcou-me pelo simples facto de tentarmos embelezar e a romantizar este dia. Não estou a dizer que não se possa oferecer flores ou outras lembranças às mulheres. Não, apenas quero que reflitam sobre a essência deste dia, em que muitas de nós morreram, sofreram e lutaram arduamente para conquistar direitos que temos hoje garantidos. Por isso, um simples papel e a luta constante por mais direitos vale ouro comparado com uma flor.

É preciso parar para falar, para lutar, para gritar até que a voz doa por mais sororidade. É preciso dizer basta! Entendam uma coisa: não seremos livres enquanto outras mulheres forem prisioneiras, não seremos fortes enquanto não empoderarmos todas as outras, não poderemos viver normalmente enquanto outras morrem e são tratadas de forma cruel. Por isso, lutem, todos os dias da vossa vida, porque já como dizia Simone de Bouvoir "Basta uma crise política, económica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes, terás de te manter vigilante durante toda a tua vida".

bannerCarina